Corno dopa esposa pro amigo foder

Continuação do conto “Esposa dopada 2” depois de ter gozado na linda boquinha da minha Esposa, sabendo que ela engoliu minha porra e também a do Pedro, fiquei ali olhando para ela e pensando oque mais faria naquela noite, e como estava tarde e eu um pouco alto da bebida acabei pegando no sono, acordando com o chamado da minha esposa, dizendo; que não estava se sentindo bem, como recém tinha acordado, fiquei vegetando no assunto e quando me lembrei levei um baita susto e ela dizendo que estava sentindo uma forte tontura e o corpo dolorido, eu fiquei calado por um instante sem saber oque dizer exatamente, daí disse; talvez seja o porre que tomou ontem, afinal nunca bebeu tanto assim, ela fez uma cara de quem estava tentando lembrar da noite anterior e disse; não me recordo do tanto que bebi, mais deve ter sido bastante mesmo, porquê nem de vir para a cama recordo, nisso ela tenta se levantar, fui rápido ao seu lado para evitar uma queda, ela da alguns passos e passa a mão na sua ex. Bucetinha que devia estar uma Bucetona de responsa. É diz;
__ Transamos ontem a noite?
__Eu disse sim porquê você não se lembra?
Ela responde;
__ Não, mais a minha (Julinha) como ela chama a sua grutinha tá dolorida e esta encharcada de porra. Nessa hora lembrei da baita gozada que o fdp do Pedro deu dentro dela e disse; Amor isso foi sem querer mais foi tão gostoso ontem que não resisti.
Ela me olha com cara de brava e eu com uma baita cara de safado pensando em comer ela ali mesmo do jeito que estava, fomos para o banho demos mais uns amassos lá e ela passou o dia todo meio que reclamando de dores ao corpo, mas passando alguns dias tudo voltou ao normal menos sua linda grutinha que pensei nunca mais seria a mesma.
Duas semanas após o fato ocorrido voltei ao mercado no fim da tarde, afinal mercado de Vila não são muitos, lá dou de cara com o Pedro, tratei ele normalmente afinal é um cara gente boa e conversa vai conversa vem, pensei ele não vai toca no assunto. Ele conversa várias coisas menos sobre minha esposa e me chama vamos tomar uma gelada, agora aqui no barzinho da frente, na hora gelei pensei, esse cara tá de arte, vai querer falar sobre minha esposa, pra ele comer de novo.
Falei bora lá, mais não posso demorar muito, chegando lá o cara já é conhecido dos donos e garçons, que logo trazem uma cerveja bem gelada e uma porção de frango, depois de um tempo a dona, que era tipo uma sociedade com o irmão dela, sei lá, uma baita Potranca, loira com seus 1,70 mais ou menos com uns peitos de silicone e uma bunda fora do normal. Pensei esse fdp já comeu essa mulher, porque ela falava se abrindo toda com ele e passava a mão em sua cabeça e peito, ele vendo que eu estava notando aquilo, diz quando ela sai, se você quiser arrumo para você comer essa cachorra.
Eu ri meio sem jeito e mudei o assunto, nisso como estávamos bebendo e as cervejas começavam a pegar já, ele disse; cara te respeito pra Caralho, você me parece ser gente boa, por isso vou te contar, que passei dias pensando no que fizemos e sei que foi errado. Más na emoção da coisa, não deu pra evitar, eu meio sem graça disse, tudo bem já passou, erros acontece…
Mais o fdp não para e começa elogiando minha esposa, falando coisas boas ao seu respeito, e que está querendo novamente Transar com ela e me pergunta se eu fiquei excitado com oque aconteceu, falei a verdade, cara fiquei com muito medo de início, porque não imaginei que passaria por isso algum dia, mais depois de um tempo senti sim muito tesão , em ver minha esposa, com outro homem, ele ri e diz queria muito fazer novamente mas agora com ela acordada oque você me diz.
Nessa hora o tesão já estava tomando conta de nos dois então cai na realidade, ela jamais vai aceitar porque conheço bem a mulher que tenho, e comecemos a planejar como faríamos mais uma vez a loucura daquele dia.
Chegando em casa, vou direto tomar uma ducha para ver se passa o tesão que sentia, mais aquilo era incontrolável então começo a tocar uma punheta louca e frenética e nisso escuto o barulho do portão abrindo, é minha esposa, chegando da faculdade. Desisto da punheta e vou igual um tarado com o pau duro em direção a ela já abraçando e beijando sua boca, peguei ela no colo e fui em direção a cama, deitando ela lá e tirando sua roupa com muita pressa, por sorte do destino ela ficou exitada com a minha pegada de surpresa e ajudou a tirar mais rápido.
Quando olhei pra aquele monumento de mulher com seus pelinhos arrepiados, com aquele corpo Lindo a minha disposição me chamando para Foder ela quase tive uma ereção ali mesmo, me controlei e fui beijando seu corpinho até chegar na sua linda Bucetinha que nessa hora estava ensopada e eu ali sugando aquele melzinho delicioso e vendo minha esposa se contorcendo encima da cama sentindo orgasmo, nisso reparo que seu Cuzinho ainda Virgem piscava sem parar, pirei e pedi posso tentar por nele hoje, ela faz uma cara de quem não quer, mais já estava excitada ao ponto de não recusar muita coisa e diz; vai devagar então.
Peguei um gel lubrificante, que já estava estrategicamente na gaveta de cima da cômoda, passei no pinto e naquele rabinho que ficava me chamando e voltei pra sua Bucetinha que estava ainda ensopada dei mais algumas chupadas e fui subindo para não deixar ela com medo de perder o cabacinho daquele cu, fui incentivando e ela ficando de bruços e nisso o pau já foi esfregando naquele Cuzinho que bem de leve foi entrando mesmo ela estando muito exitada e o gel ajudando estava extremamente apertado mas com paciência foi todo engolido e pude começar a bombar de vagar no começo mais depois de um tempo ela mesma pedia vai com força e foi isso que fiz, acredito eu que demorei em média 10 minutos e não resisti escutando minha esposa gemendo de forma excitante gozei com tudo que tinha naquele Cuzinho.

Add a Comment