Dando minha rola pro estranho no ônibus

Depois de um longo tempo só lendo e batendo varias punhetas com os contos do site, resolvi expor algumas experiências minhas.
Me amarro em aventuras, banheirão, ônibus, metrô lotado, rua, quando me sobe a adrenalina já é tesao na certa, mas vamos à um relato que me aconteceu a um pouco mais de uma semana, e todos os contos que passarei a postar são verídicos e não aumentarei e nem diminuirei cada detalhe.
Me chamo João, tenho 18 anos, 1,78alt, 95kg, não sou magro nem definido, sou normal, praticante de atividades físicas, moreno, olhos castanhos escuros, cabelos pretos, pau de 19cm muito babão.

Estava voltando do serviço, por volta de 00h/01h da manhã, exausto, porém sempre afim de uma sacanagem. Cheguei no ponto do meu segundo e último ônibus aquele horário, fiquei esperando a permissão do motorista para subir e me sentar, aguardando, notei vindo na minha direção, Victor(fictício por cuidados da identidade), com barba(me amarro), em média de 1,70, cheinho do jeito que eu gosto, veio já me encarando, e puxando assunto para saber se aquele ônibus ia pra tal lugar, eu solícito respondo já observando seu corpo, que era uma delicia por sinal, de imediato ele notou e retribuiu as olhadas. Subimos no ônibus e já fui sentando lá no fundo nas últimas fileiras, fiquei na ponta só encarando ele, ele veio e sentou na fileira ao lado da minha, já coloquei minha mochila no chão e comecei a mexer no meu cacete já dito na cueca. Ele começou a olhar demais, então chamei ele para meu lado, que de imediato pulou já me puxando para um beijão, molhado gostoso, com muitas carícias, muitas passadas de mãos de ambas as partes.
Então parei o beijo:
Eu: cara você é solteiro ?( não que se fosse comprometido seria problema pra mim, não ligo pra isso)
Victor: sou sim e você ?
Eu: Sim, tá afim de mamar ?
Victor: aqui ? Agora ? Você tá louco, vão colocar a a gente pra fora. Falou assustado
Puxei o mesmo novamente para um beijo lento, que aos poucos foi se entregando, e descendo sua mão que estava no meu rosto, percorrendo minha barriga, até que chegou onde o safado queria.
Colocou a mão dentro da minha cueca e começou a massagear, então tirei a mão dele e minha tela pra fora e falei
Eu: Cai de boca seu gostoso, eu sei que você quer.
Ele não relutou e já foi caindo engolindo toda minha rola grosa, fazendo uma bela garganta profunda, que me levou ao delírio.
Aí falei pra ele
Eu: levanta
Coloquei a mão por dentro da calça, pegando aquela bunda gostosa, posicionei dois dedos bem no meio
Eu: agora senta.
Fiquei mexendo o dedo lá dentro e beijando ele, tirei os dedos e fiz ele chupar também e me beijando.
Victor: eu quero sentar na sua rola agora.

Eu: tem camisinha aí ? Porque eu to sem.

Victor: não tenho, mas pode ir no pelo que eu aguento.

Eu: cara não é questão de aguentar, não te conheço não vou meter em você sem camisinha.

Victor: então me dá leitinho na boca da.

Então empurrei a cabeça dele com tudo fazendo ele engasgar com minha rola, começou chupar freneticamente e lamber meus mamilos que por sinal é meu ponto muito fraco, voltou pra cabeça, passava a língua e me olhava com cara de puta, dai não aguentei e comecei a empurrar a pika lá dentro como se fosse um cuzinho, então esporrei vários jatos naquela boquinha gostosa e disse.

Eu: não engole, vem aqui me beijar.

Veio me beijar e enquanto nos baijavamos engolíamos minha porra.

Então faltava dois pontos para eu descer, então trocamos Contatos, estamos marcando de ir pra um motel pra fazermos o que começando.

Se gostarem desse conto terá mais, tenho muitas histórias pra contar.
Espero sugestões e opniões para que eu possa melhoras nos próximos.
Até logo e boas punhetas putões!

Add a Comment