Metendo no padre da vila

Poucos segundos depois que a tirana entrou na sala do delegado, Padre Bento que tinha acabado de chegar na delegacia, pois estava “ajudando” o delegado nas investigações, também entrou na sala e precisou se segurar muito pra não cair na gargalhada. Horrorizado com tanto mal gosto, apenas pensou antes de cumprimentar o delegado e a baranga.

“ Como é que “ISSO” ou “ESSA COISA”, que não sei definir o que é, consegue ser tão brega, vulgar, desengonçada e encardida desse jeito, meu Deus? Essa criatura, não chega a ser nem um animal. Esse massa asquerosa inclassificável, só pode ser um monte de banha sebosa, enrolada num ordinário papel de presente brilhoso e florido, pronta pra ser enviada de presente, via SEDEX pro capeta.”   CÉÉÉÉUS…!!! ONDE ESTÃO MEUS SAAAIS… !!! Não posso deixar essa oportunidade passar sem tirar uma com a cara dessa vadia:

– Bom dia Delegado Rui Melo Rêgo! Como vai?

– Bom dia Padre Bento! Entre, por favor!

– AVE MARIA! Mela o Regô? Desconjuro doze vezes! Resmungou Henriqueta, cabisbaixa, antes de ser bombardeada pelo cínico sacerdote:

_ BOOOOM DIIIAAAA, Dona Henriqueta Kemal! NÃÃÃÃO… !!! NÃÃÃÃO PODE SER.. !!! MEU DEEEEUUSSS DO CÉU… !! O QUE É ISSO, MINHA AMIGA? QUE LOOK É ESSE MULHER? QUER DESTRUIR O PLANETA VESTIDA DESSE JEITO?

– Gostou, Padre Bento! Esse é só o meu jeitinho “chicléssimo” de me “amostrar”.

– Desculpe o escândalo delegado, mas confesso que nunca imaginei viver para ver um visual como o da nossa querííííídiiiiiiisiiiiiimaaaaaa futura prefeita. UMA COOOOISAAA… !!! Me diga minha flôr, esse seu figurino é pré, pós, inter ou trans MARAFÔNICO”?

Pra lá de satisfeita, envaidecida, completamente equivocada e com seu ego explodindo a árvore de natal do Alaska se levantou, deu um voltinha, uma desfiladinha com uma das mãos na cintura, sentou-se novamente e respondeu:

– Bobinho! Todos os meus figurinos, não são nem desse, nem de nenhum outro “ESTRELISTA”. São meus mesmo.

– Pela expressão do delegado, aposto que ele está tão passado a ferro quanto eu. PARABÉNS! Me faltam palavras para descrever o que estou sentindo diante de uma “ESTRELISTA” tão… tããoooo…., TÃO FOFA e de PESO como você, Henriqueta. Com toda essa sua coerência pra se vestir, para não correr o risco de ter um AVC, me recuso veementemente a imaginar as micro e encaloradas peças de verão que seu farto corpo exibirá no inverno.

– AI…, AI… ! Acham que sou alguma retardada, senhores? Sei muito bem onde vocês querem chegar com essa conversa.

– SAAABEEE? Perguntou o vigário surpreso.

– Lógico que sei, seu bobão! Mas não se acostumem, heim! Onde estão as canetas? Antes de sair e SOMENTE hoje, deixo-lhes meu “AUTROGAFO”, pois minha beleza, finura, “auto elegância e esbeltismo”, me deixam “EXAUSTRA”!

– POOOXAAAA, Henriqueta… ! Como você é esperta e inteligente, heim mulher?

– Não só espertíssima e inteligentíssima, mas também muito caridosa e bondosa. Se quiserem deixo vocês me contratarem como a “PRISIONAL SYTILIST” de vocês por apenas R$10.000,00 mensais e prometo deixar vocês quase tão “requentados” quanto eu. Sabiam que sou “auto didática”? Nunca fiz nenhum curso de moda e nem aula de manequim, para desfilar tão bem como desfilo as roupas que eu mesma faço. Amanhã entãããõooo…! Vou estar deslumbrante, sem deixar de ser extremamente discreta e simples como sou. Usarei uma calça “pantalonga” de plástico, toda estampada com araras gigantes e cheia de franjas vermelha…

-Quase vomitando de enjoo e com todos os poros de seu corpo mimando suor só de ver Henriqueta vestida para uma expedição ao Alaska, nesse momento o delegado muito impaciente mudou o rumo daquela fútil e insuportável conversa.

– SEEEGUNDO…. Segundo o policial Miro, a senhora tem uma importante informação pra mim, sobre o crime que tirou a vida do Detetive Ari, não é mesmo Henriqueta? Desembuche logo, pois como foi informada, pelo competente soldado Miro, ando ocupadíssimo! Sou todo ouvidos, mulher!

Mas nervoso mesmo o delegado ficou foi com a resposta de Henriqueta, que devido a presença do vigário, foi obrigada a desconversar.

Na mesma hora ele enfiou a mão dentro de sua bolsa, retirou de lá um pote e respondeu:

– CRIIIIME? QUE CRIIIME? Acho que o competente soldado Miro, talvez não seja tão competente assim, como meu amantíííísssimooo delegado está dizendo. Só vim aqui pra lhe oferecer esse “felomenal! CREME, anti-rugas que estou vendendo! O senhor está interessado? Se quiser posso fazer uma demonstraç…

– CREME ANTI-RUGAS? PERDEU A NOÇÃO DO PERIGO, SUA SEM NOÇÃO? FOOOORAAA DAAAAQUI, SUA DOENTE…!!! SE NÃO SAIR DA MINHA FRENTE EM MENOS DE TRÊS SEGUNDOS, SÓ SAÍRA DESTA DELEGACIA DAQUI A TRÊS SÉCULOS, SUUUAAA …., SUUUUA….!!! FOOORAAAA…!!!

Devido ao medo que Henriqueta sentia do delegado, antes mesmo dele terminar de expulsá-la de sua sala ele já estava longe dali.

Padre Bento mais do que feliz com a cena que tinha acabado de presenciar, custou a acalmar o delegado.

–         Acha mesmo, que vale a pena se desgastar tanto assim, por uma criatura tão sem noção, como a Henriqueta Rui? Porque não gasta pelo menos um pouco dessa energia comigo, aqui e agora?

– Está coberto de razão, Bento! Se eu não der uma “DESCARREGADA”, não vou conseguir mais me concentrar em meu trabalho. Se você está aqui, oferecendo sua ajuda, porquê não aceitá-la, não é mesmo? Espere! Depois que eu disser pro Soldado Miro que não quero ser incomodado, serei todo seu, macho!

Como todas as paredes da sala do delegado eram de vidro transparente do meio pra cima, para evitar que todos os policiais que transitavam livremente do lado de fora e em frente a mesma se deliciassem com a putaria que estava prestes a começar, o padre se escondeu atrás de um dos arquivos que lá estavam, discretamente exibiu seu cacete pro delegado e o provocou dizendo:

– Deixe comigo, Rui. Vou lhe aplicar um calmante com dosagem pra LEÃO! Já preparei até a seringa! Dê uma olhada, pra você ver. Grande, grossa, lotada de remédio e prontinha pra ser injetada na sua bunda.

– Um minuto depois, os dois já estavam falando altas putarias e se desdobrando pra ser discretos:

– Que SERINGÃO Heim, Bento? HUUMMM… !!! Será que vai doer muito?

– Se você quiser e me disser como faremos para não sermos vistos pelos policiais que não param de olhar pra cá, posso passar um anestésico no local com minha língua antes de injetá-la!

– Apesar de todos eles serem meus machos e com certeza estarem carecas de saber o que estamos fazendo aqui dentro, a delegacia está muito cheia estes dias devido ao assassinato do Detetive. Para evitar que outros que não sejam os policiais safados que sem dúvida nenhuma estão morrendo de inveja da nossa sacanagem, nos vejam vamos fazer tudo na maior discrição, correto?

– Tudo bem! Só não vejo como trepar discretamente numa sala circundada por vidros transparentes.

– Vou te dizer como, macho! Pra começar, quero que sente na cadeira da minha mesa, levante sua batina até o quadril, bote sua rola pra fora, enquanto eu entro debaixo dela e lhe dou uma bela mamada sem ninguém ver, certo?

Alguns segundos depois o padre já gemia discretamente, com sua rola enfiada até o talo na boca do delegado que também soltava discretos gemidos com a boca cravada na tora do vigário, enquanto os policiais mais do que cientes do que estava acontecendo não só insistiam em passar pra lá e pra cá de cacetes duríssimos, como também não paravam de olhar pra dentro da sala na esperança de serem convidados a fazer parte da festinha que rolava dentro dela.

– Ai…, ai…, aaaiiii…, Rui…!!! Chupa.., chupa…!!! Huummm…!!!

– Iscchsss… !!! Huuummm.. !!! Bomba minha boca Bento.. !!! Booomba tesão…. !!!

Add a Comment