Peguei a minha prima casada

Meu nome é Leo ( fictício ), tenho 20 anos, 189cm e 100kg. Minha prima Jesy ( fictício ), tem 26 anos, 1,60cm, 53kg.A algum tempo minha prima Jesy se mudou com o marido para casa ao lado da minha, e depois de algum tempo pude notar que Jesy passava quase todos os dias sozinha, e então algum tempo depois ela começou a frequentar minha casa com a desculpa de querer companhia, ontem dia 30 quando cheguei em casa por volta dás 18 horas, Jesy estava na frente da sua casa me esperando, quando me viu disse que assim que eu terminasse de tomar banho e me arrumar avisasse ela que iria levar algo pra gente comer, avisei Livi ( minha namorada/fictício ) que estaria ocupado e que ela nao precisava vir naquele dia, pois assim quando Jesy fosse embora eu poderia descansar.
Estava tomando banho e como estava sozinho em casa não costumo usar toalha pra sair do banho, então sai e fui pegar um copo de água antes de me vestir, quando passei pela sala Jesy estava sentada no meu sofá me esperando sair do banho.Eu- O que você ta fazendo aqui?

Jesy- Tava esperando você!

Eu- Eu falei que ia avisar pra você vir!

Jesy- Você deixou o portão aberto, achei que fosse pra mim entrar!

Eu- Era, mas eu ia te chamar, foi mal aparecer pelado, é que eu achei que ia estar sozinho!

Jesy- Não, você ta em casa e foi eu que entrei sem avisar!

Eu- Vou ir botar um short e ja volto!

A imagem de Jesy encarando meu pau ficou em minha mente e comecei a ficar de pau duro, e só usando short era óbvio que daria pra perceber, mas como agora queria mexer com Jesy, não liguei.
Voltei para sala e vi Jesy ainda sentada no mesmo lugar imóvel, falei que ela podia se sentir em casa e que nao ligasse pro que tinha ocorrido, assim começamos a comer um o lanche que ela tinha trazido em quanto víamos um filme, De vez em quando Jesy encarava o volume do meu pau no short, deitei no sofá e deixei ela ainda mais amostra para seus olhos curiosos.

Eu- Ta olhando muito pra ele, não acha?

Jesy- O que?

Eu- Tá encarando meu pau direto!

Jesy- É que…

Eu- Tá faltando em casa?

Jesy- Um pouco!

Eu- sério?

Jesy- É, antes eu e ele fazíamos direto, mas parece que ele perdeu o interesse depois do casamento!

Eu- Entendi!

Jesy- Você quer?

Eu- O que?

Jesy- Fazer comigo!

Depois que Jesy falou isso, elá veio pra cima de mim e implorou por aquilo dizendo que faria de tudo e que seria minha puta, que eu podia fazer o qu quizesse com ela.
Como se recusa um pedido desses?
Mandei que ela tirasse meu pau para fora e chupasse, ela como uma fêmea no cio engoliu e babou meu pau inteiro em quanto sugava sem parar, segurei a cabeça dela com a mão esquerda e comecei a fuder a boquinha dela como se estivesse fudendo uma bucetinha de ladinho, fiquei fudendo sua boca por um bom tempo até que ela levantou tirou a roupa e ficou de joelhos no sofá em quanto empinava a bunda e me olhava por cima dos ombros.
Uma visão maravilhosa ver aquela mulher se posicionar e se entregar pra mim, fui para trás dela e segurei firme em sua cintura e dava alguns tapa em sua bunda em quanto ela gemia e implorava para as eu a comesse logo, sua bucetinha ja pingando de tesão estava pronta para ser arrombada pelo meu pau, e pelo tempo que Jesy estava necessita sua bucetinha estáva sensível e apertada. Comigo empurrando meu pau o mais fundo que conseguia dentro dela, sua bucetinha contraia e se abria pra mim como uma virgem.

Eu- Era isso que você queria esse tempo que vinha aqui, não é?

Jesy- Sim, era, eu queria esse pauzão desde o dia que eu vi você fodendo sua namorada na varanda!

Eu- Você ficou olhando e imaginando tá no lugar dela com a bucetinha preenchida pelo meu pau!

Jesy- Sim, quero seu pau abrindo minha bucetinha, vai fode logo, quero que me foda!!

Eu- Vai ser minha puta agora, essa buceta é minha!

Jesy- Então fode ela, fode, como a bucetinha da sua putinha!

Com Jesy empinada no sofá e comigo atrás dela e com meu ja enterrado no fundo daquela puta, segurei sua cintura e seu cabelo, comecei a fuder sua bucetinha com força, do jeito que aquela fêmea precisa ser fodida, senti a buceta dela contrair e pressionar cada vez mais o meu pau, Jesy não aguentou e gozou forte no pau, seus gemidos e gritos estavam muito altos e para evitar que algum vizinho nos ouvisse, puxei ela para o chão e enfiei sua cara em uma almofada para a abafar seus gritos e continuei a fodendo.
Quando estava preste a gozar em sua bucetinha Jesy me pediu para esperar e disse que antes queria que eu a comesse na varanda igual tinha feito com a minha namorada. arrastei Jesy pelos cabelos até a varanda e a fiz ficar apoiada na parede em quanto olhava a rua, nossa rua costuma ser vazia então dava pra arriscar sem problemas, levantei uma das pernas dela e soquei novamente em sua buceta fazendo ela gemer, ela olhou para trás e me pediu com uma voz ofegante para que gozasse, ela queria sentir minha porra dentro da sua bucetinha e eu não recusei seus pedidos, soltei sua perna e a fiz empinar mais em quanto puxava seus braços para trás e aumentava a força das estocadas.

Jesy gemeu alto e junto comigo gozou novamente, ficamos parados ali um tempo comigo ainda dentro dela em quanto minha porra escorria da sua bucetinha agora toda arrombada, depois daquilo era responsabilidade minha satifazer aquela mulher, e como minha mulher seria responsabilidade da Jesy, satisfazer meu pau.
Eu estive escrevendo esse conto em quanto Jesy me chupava, agora são 13:00 da tarde e acabei de encher a boca dela com a minha porra e em quanto ela suga até a última gota de porra das minhas bolas, fico imaginando o tipo de coisa que farei com ela e as histórias que vamos viver.
Se tiverem dicas de como posso fuder essa puta só comentar, e até o próximo conto.

Add a Comment