Safado na putaria com o Uber

Olá, meu nome é Eduardo, tenho 24 anos e essa história aconteceu comigo pouco tempo atrás.
Tinha ido à casa da minha tia fazer uma visita porque não via ela e meu primo havia muito tempo. Acabou ficando tarde para eu pegar o ônibus e chamei um Uber, que chegou mais rápido que o esperado. Entrei rápido no carro já me desculpando por tê-lo feito esperar e quando me virei para olhá-lo fiquei um tempo sem fala, ele era muito bonito. Barbudo de olhos verde escuros, braços, peitoral e coxas grandes e um sorriso muito bonito no rosto.
– Que é isso cara! Precisa se desculpar não – ele disse acelerando o carro.
Ele puxou papo perguntando o que eu fazia e ficamos nesse papo furado por poucos minutos até se fazer o silêncio, então ele disse:
– Engraçado as coisas que acontecem, né cara? Se liga no que aconteceu hoje mais cedo, eu tava rodando e busquei um casal de garotos ali perto de onde você tava. No meio da viagem eles começaram a discutir e tal até que um ficou puto demais, mandou eu parar o carro e colocou o outro pra fora!
– Caralho! – foi a única coisa que consegui responder para a história super aleatória que ele começou.
– Pois é, aí o moleque veio sentou na frente e foi desabafando e disse que ficou puto pq o outro disse que o pau dele era pequeno.
Nisso eu começamos a rir e eu já comecei a desconfiar das intenções dele com essa conversa. E ele continuou:
– Aí eu fui tentar confortar o cara e falei, pô, mas tamanho não é tudo, eu mesmo tenho o pau curto mas a galera curte.
Meu pau pulsou dentro da cueca.
– Aí nesse papo o cara pediu pra ver meu pau – disse o motorista do Uber – e eu tava nas moral de mostrar mas a viagem acabou.
– Que droga hein cara – eu respondi – mas você tinha coragem de mostrar mesmo?
– Eu tinha, e ele era bonitinho também, que nem você assim.
Meu pau pulsou de novo e respondi:
– Mostra pra mim então.
Ele me olhou abrindo um sorriso e falou:
– Opa, é pra já.
Parou o carro na rua, que já estava deserta por causa do horário e subiu os vidros, colocou o banco pra trás, abriu o zíper da calça e colocou o pau já duro pra fora. Era realmente um pau curto, cabeçudo e de grossura mediana, o que fez meu cu piscar, não gosto de dar pra pau grande. Coloquei a mão no pau dele e comecei a punhetar.
– Gostou? – ele perguntou
– Demais
– E o seu, como ta aí? Animado já? – ele perguntou passando a mão no meu pau por cima do shorts
Abri meu shorts e coloquei meu pau pra fora, ele estava meia bomba mas já se mostrava avantajado, tenho 19cm de pau, grossura mediana.
– Caralho que delícia – ele disse pegando no meu pau e começando a me punhetar – ta animando já.
Ficamos punhetando um ao outro por um tempo até que eu resolvi cair de boca. Engoli o pau dele inteiro e fui subindo devagar, passei a língua na cabeçona, engoli de novo e fui subindo e descendo a boca no pau dele cada vez mais rápido. Ele começou a gemer baixinho e respirar fundo passando a mão na minha nuca enquanto eu chupava. O pau e os gemidos dele estavam me dando muito tesão, então peguei a mão dele e coloquei na minha bunda. Olhei pra ele e perguntei:
– Curte?
Ele começou a alisar minha bunda, colocou a mão dentro da minha cueca e apertou meu rabo. Então respondeu:
– Que delícia cara! Ta querendo sentar é?
Fiz que sim com a cabeça com o pau dele na mão.
– Só vem então.
Não perdi tempo. Peguei uma camisinha na minha bolsa e entreguei pra ele enquanto eu tirava meu shorts e minha cueca. Ele afastou e abaixou o banco do carro o máximo que pôde e ficou me esperando com o pau apontado pra cima se punhetando e me olhando com cara de safado. Abri as pernas e me posicionei em cima dele, dei uma cusparada na mão, passei no cu e encostei ele no pau do Uber. Comecei a descer devagar e já dei uma gemida quando entrou a cabeça, desci meu rabo até o pau dele entrar inteiro e comecei a quicar. Que pau gostoso, ele começou a meter em mim me segurando pela cintura, meu pau babava muito, sujando a camiseta dele, ele a levantou revelando uma barriga e peitoral peludos que eram uma delícia. Ele metia cada vez com mais força e eu quicava igual uma puta, estava muito gostoso, eu gemia baixo e ele me olhava com cara de safado mordendo o lábio inferior. Após alguns minutos ali os vidros do carro já estavam todos embaçados e eu já estava a ponto de gozar, então ele disse:
– Vou gozar cara!
– Vai, leita esse rabo!
Comecei a me punhetar enquanto ele me fodia com mais força, ele me segurou pelos ombros e enfiou o mais fundo possível soltando um gemido alto e nesse momento eu jorrei jatos de leite na barriga peluda dele. Tirei o pau dele de mim e voltei ao meu banco, estávamos ambos suados e ofegantes, nos limpamos, nos vestimos e seguimos viagem.
– Considere sua corrida paga – ele me disse sorrindo.
Infelizmente eu havia chamado no cartão de crédito.

Add a Comment