Suruba em Salvador

Oi
Me chamo Fábio. Tenho 1,83, 80kg, cabelos negros e cacheados. Sou professor, morador de Salvador e tenho 28 anos.
Como todos sabem, o verão aqui na cidade é repleto de festas, shows, atrações culturais, e tudo isso somado ao sol e praias lindas faz a cidade lotar de turistas.
E foi assim, numa dessas festas – Baile da Santinha, de Léo Santana – que conheci a Viviane. Ela tem +/- 1,70, pele morena, cabelo alisado e um corpo incrível, ressaltado por uma camisa e uma saia bem apertadinha.
Estava eu com minha galera, quando me afastei para comprar umas cervejas. Na fila do balcão para ser atendido, reparei nela, que estava na fila ao lado e começamos a trocar olhares. Por sorte, fomos atendidos na mesma hora e saímos juntos, um momento perfeito para iniciar uma conversa. Ela me disse que era a primeira vez em Salvador e que estava adorando a cidade! Tinha acabado de chegar do interior do Espírito Santo com mais duas amigas e o Baile era a primeira festa que frequentavam na cidade. Depois me apresentou as amigas e ficamos todos conversando, eu falando sobre Salvador e as festas que costumam acontecer nessa época do ano.
Com o papo fluindo bem, juntei as 3 visitantes ao meu grupo de amigos e eu já estava completamente louco pela Viviane, mas ela estava ainda resistente em ficar comigo, beijar e tal. Mas não demorou muito e depois de muita conversa nos beijamos! Ela tem lábios carnudos e um beijo delicioso, que me deixou mais louco ainda.
Eu comecei a falar com ela para que fôssemos a um lugar tranquilo, só nós dois, para curtir melhor. Ela estava receosa. Nitidamente era muito tímida, mas as amigas incentivaram e como ela não conhecia a cidade, me comprometi a levá-la depois ao hotel em que estavam hospedadas e ainda seria guia turístico dela e das amigas enquanto estivessem em SSA. Uma das amigas dela, uma baixinha bem gostosa, me disse pra cuidar da Vivi, porque “era a primeira viagem dela depois de terminar um namoro longo” e ainda me confidenciou que “como a Vivi começou a namorar bem novinha, acho que só deu para o otário do ex dela”.
Quem conhece Salvador sabe que alguns shows são em um antigo parque aquático desativado, que fica perto de uma avenida conhecida pela quantidade de motéis. Foi pra lá que levei Viviane.
Como já tinha bebido bastante, deixei o carro e fomos de Uber. Como era perto chegamos rápido no motel! O motorista do Uber nos deixou em frente a garagem do quarto e já na subida começamos a nos beijar loucamente! Viviane nem parecia aquela garota tímida do show.
Já no quarto tirei a blusa dela, mas antes de tirar o sutiã ela me chamou pra tomar um banho. Vivi realmente tinha decidido se entregar… na suíte do quarto ela tirou toda minha roupa! Meu pau estava duro como uma rocha! Ele é médio, tem 15cm e é grosso. Viviane não me deixou tirar a roupa dela: entrou no box, ficou de costas para mim e tirou a saia, a calcinha e por último o sutiã. Ali pude ver o corpo lindo que ela tinha: uma bunda empinada, redondinha e quando ela virou, vi os peitos que não eram muito grandes, mas eram bem firmes! Viviane é uma delícia! Que mulher gostosa!
No chuveiro ela se abaixou e abocanhou meu pau com vontade e que boquete! Como sabia chupar uma rola! O ex deve ter ensinado muito bem. Ela batia enquanto chupava só a cabeça da minha rola e depois colocava tudo na boca e eu me controlando para não gozar.
Depois de um tempo dela me chupando, levantei, mandei ela de pé virar para a parede, ela empinou o rabo e chupei a buceta dela com vontade! Enquanto chupava via o cuzinho dela piscando.. A água do chuveiro caia e cada vez mais chupava ela, deixando Viviane louca. Chegou uma hora que ela não aguentou e pediu para eu comê-la: coloquei a camisinha e ali em pé mesmo comecei a bombar na buceta de Vivi, que rebolava e pedia mais pica. Fudi até ela gozar a primeira vez e pedir para ir pra cama.
Na cama ela já ficou de quatro e pediu: “vem, fode essa cadelinha…” esse pedido foi uma ordem e comi Vivane com mais vontade ainda! Estocava forte naquela buceta, batia em sua bunda e ela, cheia de tesão, pedia mais.
No quarto do motel tinha uma cadeira erótica: carreguei ela e coloquei deitada na cadeira, de frango assado, pois assim podia ver melhor a cara da safada enquanto eu a devorava. Na cadeira, ela foi a loucura! Gritava no quarto e nem de longe parecia a garota receosa de sair do show sem as amigas! Cada vez mais pedia rola, para ser fudida e eu comia ela com vontade, até que anunciei que ia gozar e ela pediu pra tirar a camisinha e gozar na barriga dela, o que eu fiz… gozei um jato enorme de porra que lambusou Viviane e logo se ajoelhou para limpar o meu pau: o boquete dela é tão bom que se não houvesse sexo, eu ficaria satisfeito.
Tomamos mais uma chuveirada e deitamos na cama exaustos! Disse a ela para descansar, porque a noite estava só começando e eu havia pedido pernoite no motel, então ainda haveria muito mais na madrugada.. e houve! Transamos mais uma vez, dormimos e transamos de novo antes de entregar o hotel.
Viviane ficará aqui em Salvador mais uma semana, depois vai para casa e volta no carnaval. Vou acompanhar ela toda essa semana e espero que rolem novas aventuras e no carnaval ela e as amigas já estão convidadas a ficar na minha casa.

Add a Comment